sábado, 16 de maio de 2009

Macacos no altar

Entalhe de Nikko, Japão
Foto: Ricardo Freire

Estes três macaquinhos (Kikazaru, Iwazaru e Mizaru) representam um antigo provérbio budista:"Não dou atenção ao mal, não dou ouvidos ao mal, não dou voz ao mal."

Encontramos o macaco nalguns quadros clássicos. Em grandes catedrais (por exemplo: Bayeux, Chartres, Paris, Amiens) encontramos macacos segurando os capitéis das colunas e quase sempre têm caras exóticas. Não estão lá por ornamento, mas simbolizam o castigo do ser humano pecador. Quando acorrentados, simbolizam o demônio impotente contra os cristãos. Às vezes encontramos macacos afetados por sarna ou lepra: são símbolo da pessoa invejosa. Outras vezes encontramos figuras humanas com cara de macaco: quer-se simbolizar a pessoa que se autodegradou pelos vícios. Nalguns quadros, o macaco se olha num espelho: símbolo do ser humano que perdeu a dignidade.

Fonte: Folhinha do Coração de Jesus. Texto do Frei Clarêncio Neotti, OFM.

Copyright © 2009 – Meu Horizonte
© Todos os Direitos Reservados

3 comentários:

Anônimo disse...

Interessante! Seu blog é um local de cultura!!!
Beijos!
Rodin

Josselene Marques disse...

Rodin:

Obrigada. Eu adoro aprender e compartilhar o que aprendo.
Volte sempre!

edivaldo disse...

Bacana!!
Bem criativo,
Parabéns!